Para o filósofo Sócrates, jamais uma pessoa deve ordenar aquilo que não pode controlar. Esse pensamento, no contexto atual do empreendedorismo, define a situação dos lojistas, que lidam com problemas constantes em seu fluxo de caixa. Por não saberem controla-lo, acabam trabalhando de forma incorreta e tomando as decisões erradas, o que acarreta inúmeros prejuízos financeiros para a empresa. Mas ao controlar rigorosamente o fluxo de caixa, o gestor consegue garantir um balanço sempre positivo, com geração de lucros que podem ser usados para melhorar os serviços.

O que é fluxo de caixa?

Essa ferramenta nos ajuda a identificar com clareza os ganhos e gastos mensais da empresa, considerando as principais vertentes de entrada e saída do dinheiro. A ferramentas fornecem uma previsão mensal dos lucros e das despesas, garantindo um controle sobre os próximos passos da empresa, como por exemplo, quanto serão os gastos fixos, variáveis, o quanto pode ser lucrado, investido e aplicado para melhoria da empresa em geral  

 Como fazer essa organização corretamente?

Para começar, é preciso reforçar que todo movimento de entrada (receita) e saída (despesa) do dinheiro tem que ser registrado, bem como as datas dessas ocorrências, isso tudo dentro de um software de gestão.

Determine um período para registro

De acordo com a movimentação no negócio, o caixa pode ser controlado por dia, semana ou mês. Esse período não deverá ser muito longo, pois há o risco de que informações acabem se perdendo no caminho. Sem contar que algumas avaliações precisam ser feitas com mais detalhe. 

Identifique despesas e receitas

 

Essa identificação consiste em nada mais do que classificar as contas entre entrada e saída e dar nome a elas: internet, luz, perda por roubo, perda por validade, aluguel, salários, fornecedores, recebimentos em dinheiro, cheque ou cartão, venda à vista, venda parcelada etc. Uma visão mais específica por meio das contas pode orientar oportunidades de cortar gastos ou de investir.

Avalie o capital de giro

Também chamado de ativo circulante, o capital de giro é o valor que a empresa tem para os custos da operação diária. Sob uma visão mais simples, é o resultado da diferença entre o dinheiro que está no caixa e o volume de contas a pagar. Administrar esse valor é fundamental para suprir não apenas as necessidades já mapeadas, mas também gastos imprevistos. A redução do capital de giro pode acontecer diante de várias situações, como aumento do custo de matéria-prima, queda nas vendas e inadimplência. É aí que está a relevância de uma governança competente sobre esse valor.

1. Faça sempre um planejamento

Estamos em uma época em que a falta de planejamento financeiro é um fator que pode gerar inúmeros prejuízos e frear o crescimento de uma loja. Por isso, para manter o fluxo de caixa sempre positivo, você precisa primeiramente fazer um levantamento de todas as suas despesas e receitas, atuais e futuras, incluindo planos de investimento e expansão, e alinha-los ao seu plano de negócios, organizando-os pelas seguintes naturezas: operacional, não operacional e investimentos.

Com isso, você poderá criar a chamada projeção de fluxo de caixa, que evidencia uma realidade financeira futura. Essa projeção é um instrumento de planejamento muito eficaz, pois permite que o lojista tenha uma ideia de como estarão as suas finanças daqui alguns anos, meses ou semanas. Dessa forma, você poderá aumentar os investimentos, reduzir despesas ou buscar fontes alternativas de receita.

2. Esteja preparado para os imprevistos

Embora sejam impossíveis de se projetar, eles podem ser evitados com um bom planejamento. Todo lojista deve fazer uma reserva de rendimentos para eventualidades, como acidentes de trabalho, manutenção inesperadas de computadores e crises no mercado econômico. Ele também pode ser chamado de fundo de emergência e deve estar previsto no planejamento orçamentário, com depósitos regulares a partir do fluxo de caixa da empresa. Essa é uma ótima maneira de enfrentar quaisquer imprevistos e evitar a tomada de empréstimos.

 3. Pague despesas regulares no débito automático

Ao se programar para pagar despesas mensais no débito automático, tais como água, telefone e energia, você evita um possível esquecimento da data de pagamento e as terríveis multas por atraso. Dessa forma, a empresa não sofrerá com os gastos desnecessários. .

4. Separe as finanças pessoais das empresariais

Uma dica essencial para começar o seu fluxo de caixa com o pé direito é separar as suas finanças das empresariais. Para isso, evite levar as suas contas para a empresa e vice-versa, o que ajuda a evitar a confusão patrimonial. Procure também criar contas correntes, cartões de crédito e débito separados para a pessoa jurídica e física. Sempre faça os pagamentos de forma separada, pois isso ajuda a manter o controle e permite que você saiba exatamente como andam as disponibilidades da sua empresa.

 5. Tenha um bom relacionamento com clientes e fornecedores

Ao desenvolver um bom relacionamento com os setores de contas a pagar, a receber e com os clientes de sua empresa, ficará muito fácil abrir canais de comunicação quando houver a necessidade de renegociação e pagamentos antecipados. Com isso, você poderá ganhar uns dias a mais para quitar dívidas, conseguir um desconto ou ter um bom retorno ao fazer uma cobrança. 

6. Observe seu caixa diariamente

Esteja atento às entradas e saídas de seu caixa, isso é a base para o controle do fluxo de caixa. Segundo especialistas, você deve criar uma rotina e verificá-lo diariamente. 

 7. Faça um gerenciamento de estoque

Como aumentar as suas vendas, se você não tem um estoque adequado para isso? A falta de produtos faz com que a empresa perca duas vezes: em relação a todos os investimentos feitos para atrair seu público consumidor e na venda propriamente dita. Por isso, faça o gerenciamento de seu estoque e projete suas vendas futuras. O software de gestão financeira também será um bom auxiliar neste processo.

 8. Use um bom software de gerenciamento

Ao invés de lápis ou canetas, que tal usar os dedos para fazer o controle financeiro da sua empresa? Com a expansão da tecnologia e o advento da mobilidade, bastam alguns cliques ou toques para você registrar dados referentes às finanças do seu negócio com mais rapidez, precisão e segurança, o que resultará em análises muito melhores.

Entre as inúmeras facilidades que o software oferece, podemos destacar a criação de diversos cenários de projeção de fluxo de caixa, que facilita as tomadas de decisão dos gestores. Todas as informações são sincronizadas online e podem ser visualizadas em computadores, smartphones e tablets, além de serem protegidas pelos melhores fornecedores de armazenamento do mundo.

 9. Crie uma cultura de gestão financeira

Em uma empresa, mesmo que sejam utilizados os melhores softwares e as mais modernas técnicas de planejamento, as metas só são alcançadas quando a equipe mostra-se comprometida. Por isso, é importante que o gestor crie, entre ele e os seus funcionários, uma cultura de gestão financeira. Atividades como reuniões periódicas, treinamentos e controle diário do fluxo de caixa devem ser rotineiras, estando sempre na agenda de todos os colaboradores. Somente assim a sua loja deixará de ser um negócio que dá lucros eventualmente, tornando-se sustentável e confiável no longo prazo.

Nossas dicas ajudaram você a gerir melhor as finanças de sua loja? Então, compartilhe sua experiência conosco e com seus amigos.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *